Gostou do artigo? Compartilhe!

CONDROMALÁCIA PATELAR - LESÕES DA CARTILAGEM PATELOFEMORAL

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo
ANATOMIA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL
  Ampliar  

ANATOMIA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL

A patela é o osso que está na frente do joelho e se articula com o fêmur.
 
ANATOMIA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL
  Ampliar  

ANATOMIA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL

Na articulação normal a patela está centrada na tróclea, que é o sulco no fêmur onde ela se articula. O revestimento de cartilagem deve ter a espessura adequada, ser regular em toda a sua extensão e a sua superfície deve ser lisa.
 
ARTROSCOPIA DE JOELHO
  Ampliar  

ARTROSCOPIA DE JOELHO

Hoje a maioria das cirurgias de joelho podem ser feitas através de uma técnica moderna chamada ARTROSCOPIA.
São feitas normalmente duas mini-incisões, uma de cada lado do joelho, não maiores do que 5 mm cada. Por um desses orifícios o médico introduz o artroscópio, um instrumento óptico que é acoplado a uma câmera e que transmite as imagens de dentro da articulação, ampliadas e em alta resolução, para um monitor de vídeo. Pelo outro orifício são inseridos os instrumentos cirúrgicos artroscópicos, que permitem ao cirurgião tratar as lesões.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL NORMAL
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL NORMAL

Vemos a cartilagem da patela e do fêmur íntegras, bem como um bom alinhamento da patela no seu sulco.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DA CARTILAGEM NORMAL DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DA CARTILAGEM NORMAL DA PATELA

Cartilagem normal da patela, sem irregularidades.
 
CONDROMALÁCIA DA PATELA
  Ampliar  

CONDROMALÁCIA DA PATELA

O instrumento cirúrgico evidencia o amolecimento da cartilagem da patela. Condromalácia significa cartilagem amolecida. Lesão grau I.
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE PATELA COM CONDROMALÁCIA
  Ampliar  

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE PATELA COM CONDROMALÁCIA

A pequena alteração na imagem da ressonância magnética já é sinal do início da condromalácia.
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE PATELA COM FISSURA NA CARTILAGEM
  Ampliar  

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DE PATELA COM FISSURA NA CARTILAGEM

Fissura na cartilagem da patela. A cartilagem amolecida predispõe ao aparecimento desse tipo de lesão.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL COM MAU ALINHAMENTO
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL COM MAU ALINHAMENTO

Aqui vemos nitidamente a patela desalinhada com a tróclea. Note que a cartilagem da patela já apresenta lesões.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL DEPOIS DE CORRIGIDO O MAU ALINHAMENTO
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DA ARTICULAÇÃO PATELOFEMORAL DEPOIS DE CORRIGIDO O MAU ALINHAMENTO

Além da correção cirúrgica do mau-alinhamento, foi reparada a lesão condral ( condroplastia ).
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA MOSTRANDO GRANDE LESÃO DE CARTILAGEM
  Ampliar  

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA MOSTRANDO GRANDE LESÃO DE CARTILAGEM

Aqui vemos uma área extensa de lesão nas cartilagens da patela e também da tróclea femoral.
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA MOSTRANDO GRANDE LESÃO DE CARTILAGEM
  Ampliar  

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA MOSTRANDO GRANDE LESÃO DE CARTILAGEM

Mesma lesão do quadro acima, vista de lado. O comprometimento é importante.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Na superfície da cartilagem da patela já existem algumas pequenas irregularidades. Lesão grau I.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Aqui vemos uma pequena lesão, já evoluindo, na cartilagem da patela. Como o joelho é uma articulação de carga, porque suporta o peso do nosso corpo, uma pequena lesão como essa pode rapidamente evoluir para lesões maiores. Lesão grau I.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Aqui vemos uma fissura na cartilagem da patela. Lesão grau II.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Aqui vemos uma lesão maior, com fibrilação da cartilagem da panela. As irregularidades observadas são responsáveis pelo "barulho" - as crepitações - que os pacientes ouvem e sentem nos joelhos. Lesão grau III.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Aqui vemos uma lesão maior ainda, onde mais de 50% da espessura de uma das facetas da patela sofreu desgaste. Lesão grau III.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Aqui já existe uma área de desgaste de toda a espessura da cartilagem numa das facetas da patela, com exposição óssea. Lesão grau IV.
 
IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA
  Ampliar  

IMAGEM ARTROSCÓPICA DE LESÃO NA CARTILAGEM DA PATELA

Caso mais grave, onde a cartilagem que revestia a patela e o fêmur já se desgastou totalmente. Lesão grau IV.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com o shaver.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com o shaver.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com o shaver.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com radiofrequência.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com radiofrequência.
 
CONDROPLASTIA
  Ampliar  

CONDROPLASTIA

Regularização de uma lesão da cartilagem ( condroplastia ) com radiofrequência.
 
EQUIPAMENTO DE SHAVER DA DEPUY SYNTHES MITEK JOHNSON&JOHNSON
  Ampliar  

EQUIPAMENTO DE SHAVER DA DEPUY SYNTHES MITEK JOHNSON&JOHNSON

Equipamento de shaver que utilizamos para condroplastia / osteocondroplastia.
 
EQUIPAMENTO DE RÁDIOFREQUÊNCIA DA DEPUY SYNTHES MITEK JOHNSON&JOHNSON
  Ampliar  

EQUIPAMENTO DE RÁDIOFREQUÊNCIA DA DEPUY SYNTHES MITEK JOHNSON&JOHNSON

Equipamento de radiofrequência que utilizamos para condroplastia / osteocondroplastia.
 
VISCOSSUPLEMENTAÇÃO
  Ampliar  

VISCOSSUPLEMENTAÇÃO

Não existe ainda um tratamento definitivo para a artrose que seja capaz de reverter o desgaste da cartilagem hialina. Vários estudos estão em andamento pelo mundo todo e esperamos que uma solução melhor do que as que temos agora estejam disponíveis em breve. Os tratamentos conservadores, ou seja, aqueles que não precisam de cirurgias, existentes no momento, têm a finalidade de aliviar os sintomas – a dor é o mais importante deles – e retardar a evolução da doença.
Dentre as várias possibilidades de tratamento conservador atualmente disponíveis para o tratamento da artrose existe a viscossuplementação. É uma técnica terapêutica que consiste em infiltrar numa articulação artrósica um medicamento de alta viscosidade que irá melhorar o ambiente intra-articular, aliviando a dor e retardando o desgaste da articulação. O medicamento é semelhante a um gel e funciona como se fosse um lubrificante, diminuindo o atrito entre as superfícies em contato, o processo inflamatório e a dor.
 
ALTA VISCOSIDADE
  Ampliar  

ALTA VISCOSIDADE

Os medicamentos utilizados para a viscossuplementação têm alta viscosidade. Eles diferem entre si pela origem e pelo peso molecular.
 
INFILTRAÇÃO DO JOELHO
  Ampliar  

INFILTRAÇÃO DO JOELHO

É um procedimento rápido e relativamente simples, praticamente indolor, que pode ser feito em ambiente ambulatorial, na maioria das vezes com anestesia local e sempre utilizando-se as técnicas assépticas. Depois da aplicação o paciente pode andar normalmente. É recomendado apenas evitar grandes esforços por alguns dias. A maioria dos pacientes relata sentir um alívio importante da dor e diminuição da crepitação articular depois das aplicações.
 
ARTICULAÇÃO PROTEGIDA
  Ampliar  

ARTICULAÇÃO PROTEGIDA

Depois da aplicação a cartilagem da articulação está mais protegida devido à diminuição do atrito e ao aumento na capacidade de absorver choques.
 
SYNVISC® e SYNVISC-ONE®
  Ampliar  

SYNVISC® e SYNVISC-ONE®

Um dos medicamentos mais prescritos atualmente para a viscossuplementação chama-se Synvisc®. Trata-se de um composto chamado Hylan GF-20, cujo peso molecular é de aproximadamente 6.000.000 Da, ou seja, é maior do que o ácido hialurônico presente no líquido sinovial normal de um adulto. Seu efeito parece ser superior ao dos outros medicamentos. Foi aprovado pelo FDA em 1.997. Em 2.009 foi aprovado a apresentação Synvisc-One®. Mais de uma centena de trabalhos científicos foram feitos com esse medicamento em diversos centros de pesquisa mundo afora. É fabricado pela empresa norte-americana de biotecnologia Genzyme, que atualmente faz parte do grupo Sanofi-Aventis.
 
ORTHOVISC®
  Ampliar  

ORTHOVISC®

Outro excelente medicamento para viscossuplementação é o Orthovisc®. Disponível no Brasil sob encomenda. Tem um peso molecular intermediário, mas apresenta altíssima concentração de hialuronatos. É um medicamento da Depuy Synthes, do grupo Johnson & Johnson. Foi aprovado pelo FDA em 2.004.
 
MONOVISC™
  Ampliar  

MONOVISC™

O que existe de mais moderno para viscossuplementação é o medicamento Monovisc™. Apresenta alto peso molecular. Seu lançamento foi feito no congresso de 2.014 da AAOS ( American Academy of Orthopaedic Surgeons ). Foi aprovado pelo FDA em 25 de fevereiro de 2.014. Não existe ainda previsão para sua chegada no Brasil. É também um medicamento da Depuy Synthes, do grupo Johnson & Johnson.
 
PESQUISAS CIENTÍFICAS
  Ampliar  

PESQUISAS CIENTÍFICAS

Estudos recentes indicam que a cartilagem, antes de começar o processo degenerativo, começa a perder proteoglicanos da matriz condral. A concentração de sódio na cartilagem tem relação direta com a concentração de proteoglicanos. Na Universidade de Stanford há um estudo onde se usa a ressonância magnética programada para a detecção do sódio nas cartilagens.
 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA PARA VER A CONCENTRAÇÃO CONDRAL DE SÓDIO
  Ampliar  

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA PARA VER A CONCENTRAÇÃO CONDRAL DE SÓDIO

Assim, com bastante antecedência, pode-se ver quais superfícies cartilaginosas irão entrar em degeneração. Como não existe ainda cura para a artrose, há uma corrente de estudiosos pesquisando técnicas para descobrir quais cartilagens irão evoluir para artrose, para que seja instituído um tratamento precoce que impeça ou retarde a evolução da doença. Muitos estudos estão em curso em diversos centros de pesquisa no mundo e muitas novidades devem surgir nos próximos anos.
 
AAOS - AMERICAN ACADEMY OF ORTHOPEDIC SURGEONS
  Ampliar  

AAOS - AMERICAN ACADEMY OF ORTHOPEDIC SURGEONS

A AAOS é a Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos, que reúne os ortopedistas americanos e também os melhores ortopedistas do mundo. É muito intenso o calendário de atividades. É enorme o número de publicações, estudos, etc...
 
ISAKOS - INTERNATIONAL SOCIETY OF ARTHROSCOPY, KNEE SURGERY AND ORTHOPAEDIC SPORTS MEDICINE
  Ampliar  

ISAKOS - INTERNATIONAL SOCIETY OF ARTHROSCOPY, KNEE SURGERY AND ORTHOPAEDIC SPORTS MEDICINE

A ISAKOS é a sociedade internacional que reúne os médicos ortopedistas especialistas em artroscopia, medicina esportiva e cirurgia do joelho. A sede fica no estado da California, nos Estados Unidos. Promove constantemente diversas atividades para os seus membros.
 
ICRS - INTERNATIONAL CARTILAGE RESEARCH SOCIETY
  Ampliar  

ICRS - INTERNATIONAL CARTILAGE RESEARCH SOCIETY

A Sociedade Internacional de Pesquisa da Cartilagem - ICRS - é a entidade que reúne pesquisadores de diversas áreas e médicos que estudam a cartilagem. Tem sede em Zurique, na Suiça, e promove diversas atividades científicas para os seus membros.
 
SLARD - SOCIEDAD LATINOAMERICANA DE ARTROSCOPIA, RODILLA Y DEPORTE
  Ampliar  

SLARD - SOCIEDAD LATINOAMERICANA DE ARTROSCOPIA, RODILLA Y DEPORTE

A SLARD é a Sociedade Latinoamericana de Artroscopia, Joelho e Traumatologia Esportiva, que reúne os melhores especialistas latino-americanos.
 
SBOT - SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA
  Ampliar  

SBOT - SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA

A SBOT é a sociedade nacional que reúne todos os ortopedistas do Brasil.
 
MÉDICO ESPECIALISTA
  Ampliar  

MÉDICO ESPECIALISTA

É importante que o paciente escolha um médico especialista em ORTOPEDIA, CIRURGIA DE JOELHO e TRAUMATOLOGIA ESPORTIVA para fazer a sua cirurgia. Os melhores especialistas estão constantemente se aprimorando em cursos e congressos no exterior, trazendo ao paciente o que há de mais moderno e as novidades em técnicas cirúrgicas, implantes e instrumentais de última geração. Também é recomendado que o paciente escolha fazer a sua cirurgia num hospital de grande porte, com todos os recursos disponíveis para que a cirurgia seja realizada com segurança e tranqüilidade, garantindo assim os melhores resultados cirúrgicos.
 

Autor

Dr Adriano Karpstein

Dr Adriano Karpstein

Medicina Esportiva, Ortopedista e Traumatologista

Especialização em Cirurgia de Joelho, Traumatologia Esportiva e Cirurgia Artroscópica no(a) Hospital de Clínicas - Universidade Federal do Paraná.